COM ATÉ R$ 110 MIL, QUE CARRO VERSÁTIL EU COMPRO?

COM ATÉ R$ 110 MIL, QUE CARRO VERSÁTIL EU COMPRO?

COM ATÉ R$ 110 MIL, QUE CARRO VERSÁTIL EU COMPRO?

Leitor quer um veículo para usar a maior parte do tempo na cidade, mas que seja apto a enfrentar estradas com conforto

por REDAÇÃO AUTOESPORTE

Hoje tenho um Veloster e uma S10 CD. 95% do tempo rodo sozinho na cidade, por isso opto pelo Veloster. Só uso a picape quando, eventualmente, vou para a estrada. Pretendo  vender ambos e adquirir um único carro por até R$ 110 mil. Tenho então analisado três opções:

1) Um carro que me dê todo conforto e agilidade que tenho e que seja urbano. Estou entre Audi A1 ou VW Golf, mas terei que colocar o carro na estrada.
2) Comprar um utilitário com conforto e agilidade na cidade, mas que me atenda melhor na estrada. Tracker ou Duster?
3) Um SUV premium que também me atenda na estrada, com o inconveniente de ter de rodar com um carro grande na cidade. CR-V, IX35 ou RAV4?

Eduardo Godoy

Nossa sugestão

Começe descartando o Chevrolet Tracker e o Renault Duster. Com o orçamento disponível, é possível pular para o segmento de utilitários premium e ainda levar um veículo com funcionalidades off-road. Sugerimos o Honda CR-V que, além de ser um de seus eleitos, tem o melhor custo-benefício do segmento. Opte pela versão EXL 4×2,  2.0 flex de 155 cv.

A variante tem itens como assistência de saída em aclives e um pacote bem interessante de equipamentos. De fábrica, traz direção elétrica, ar-condicionado digital dual zone, câmera de ré, sistema de som com Bluetooth e comandos no volante, faróis com acendimento automático, entre outros.

Seu diferencial em relação ao Hyundai IX35 e ao Toyota RAV4 é sobretudo o preço do seguro, mais em conta no CR-V. Além disso, o Toyota peca pela ausência de controle eletrônico de tração e estabilidade, itens importantes, principalmente para quem pega estrada com alguma frequência.

Nossa sugestão também tem um ótimo espaço interno. Acomoda cinco adultos com mais de 1,85 m numa boa, oferece boa ergonomia para o motorista e suspensões bem equilibradas. Dificilmente você terá  falta de conforto no utilitário. Mas ele tem alguns poréns.

Fica devendo, por exemplo, um interior mais refinado e alguns itens de comodidade ausentes até mesmo na versão topo de linha, como retrovisor fotocromático, sensor de estacionamento dianteiro e saídas de ar-condicionado para passageiros traseiros. No mais, pode ficar tranquilo em relação ao tamanho do CR-V. Com 4,5 m de comprimento, ele não chega a ser desconfortável para rodar na cidade. No máximo, pode atrapalhar naquela baliza que você faria em uma vaga disputada na rua. Vale lembrar também que o modelo reestilizado deve chegar ao Brasil em 2015.

Com até R$ 110, que carro eu compro? (Foto: Autoesporte)

Segunda opção

Como você vai para estrada apenas eventualmente, pensamos também no hot hatch Golf GTI. Embora seja difícil encontrá-lo pelo preço original, ou seja, sem nenhum acessório adicional, vale garimpar. Além do motor 2.0 turbo de 220 cv, que nem precisa dizer que empolga bastante, ele tem um pacote muito completo de equipamentos. De fábrica, tem sete airbags, sistema multimídia com tela touchscreen de 5.8 polegadas, sensor de aproximação e Bluetooth,  espelho retrovisor eletrocrômico, entre outros.

Mas é preciso pesquisar bastante antes de fazer o seguro, já que os valores variam bastante. De qualquer forma, será um preço mais alto do que o praticado pelo Honda CR-V.  Não se esqueça que o modelo é muito visado para roubo. É preciso ponderar suas prioridades.

Com até R$ 110, que carro eu compro? (Foto: Autoesporte)

 

Sobre o Autor

Marco Aurélio administrator

error: Content is protected !!