Brasil tem carro popular mais caro do BRIC

Brasil tem carro popular mais caro do BRIC

Brasil tem carro popular mais caro do BRIC

Modelo mais barato vendido em nosso mercado só perde para o Canadá e Estados Unidos, segundo levantamento de consultoria

Já é público e notório que o carro no Brasil é absurdamente caro, mas até entre os países do BRIC, o bloco que reúne as maiores nações emergentes, o preço do automóvel aqui supera com margem o de Rússia, China e Índia. É o que constatou um levantamento realizado pela consultoria Jato Dynamics.

O modelo mais barato vendido em território nacional é o Chery QQ, subcompacto importado da China e que terá a nova geração produzida no Brasil em breve. Ele sai por R$ 22.990 com motor 1.1 e um bom pacote de itens. Mas, se você estiver na Rússia e quiser levar para casa o veículo mais em conta do país, economizará R$ 7,7 mil – lá o Daewoo Matiz, um ‘parente’ do QQ, custa R$ 15,2 mil.

Mas nada se compara aos outros dois países do BRIC. China e Índia têm produtos que no Brasil custam o preço de uma moto simples. Os chineses, por exemplo, gastam R$ 7,6 mil para ter um Jiangnan TT, um antigo compacto que, é verdade, não traz quase nenhum item de série. Já a Índia é famosa por ser o mercado do Tata Nano, o carro mais barato do mundo e que custa, numa conversão simples, o equivalente a R$ 5,2 mil.

Ou seja, com um QQ no Brasil é possível comprar quatro Nanos. É verdade que esses modelos não são populares em nenhum desses países, cujo público hoje é mais exigente. Mas mesmo se compararmos nosso país com outros desenvolvidos a situação não é muito animadora. Apenas Canadá e Estados Unidos têm modelos mais caros, porém, bem mais modernos – ambos da Nissan, o Versa (EUA) e o March (Canadá).

Longe dos vizinhos

Em mercados mais ricos como Inglaterra, Alemanha, Japão e Coreia, comprar um automóvel custa bem menos. Na Europa, o modelo acessível é o Sandero, mas lá vendido pela Dacia. A Coreia vende o Chevrolet Spark por cerca de R$ 20 mil e o Japão, um dos seus ‘kei cars’ (modelos urbanos de tamanho reduzido) por R$ 16,5 mil.

Mas não precisamos ir muito longe. Mesmo diante de países como México e Chile, o Brasil fica bem para trás. O primeiro vende uma versão antiga do Matiz por R$ 16,3 mil, já o Chile tem uma versão pouco diferente do nosso QQ (o iQ) que custa R$ 13,6 mil.

Em resumo, independentemente do câmbio, o fato é que o carro vendido no Brasil é pouco acessível, seja comparado a países desenvolvidos, vizinhos ou nossos ‘colegas’ do BRIC.

Fonte: IG

Sobre o Autor

Marco Aurélio administrator

error: Content is protected !!